Soluções LEI

LEI em KYC: Um novo futuro para a Identificação de Entidades Jurídicas



A Global Legal Entity Identifier Foundation (GLEIF) realizou pesquisas com a agência de pesquisa especializada Loudhouse para identificar os principais desafios da identificação de entidades jurídicas em serviços financeiros. A pesquisa entrevistou 102 pessoas de vendas seniores do setor bancário no Reino Unido, EUA e Alemanha, explorando os desafios que o setor bancário enfrenta quando se trata de integrar novas organizações de clientes, incluindo a demora do processo de integração e a confusão que acompanha o processo com instituições financeiras usando, em média, quatro identificadores para ajudar a identificar as organizações de clientes.

As conclusões formam a base para um relatório de pesquisa da GLEIF intitulado "Um novo futuro para a identificação de Entidades Jurídicas" (A New Future for Legal Entity Identification), no qual a GLEIF destaca sua visão de que a substituição de informações desconexas por uma abordagem globalmente aceita baseada na ampla adoção do Identificador de Entidade Jurídica (LEI) removeria a complexidade das transações comerciais e entregaria valor quantificável às empresas de serviços financeiros. O relatório, juntamente com um documento separado detalhando os resultados da pesquisa, está disponível para download no final desta página.

lei-video-750x422

O ônus da integração

Seis em cada 10 (57%) vendedores seniores no setor bancário gastam mais de 1,5 dias da semana (27% da semana útil) integrando novas organizações de clientes, de acordo com os resultados da pesquisa. A pesquisa também descobriu que 50% das instituições financeiras usam, em média, quatro identificadores para ajudar a identificar organizações de clientes. O processo de integração do cliente, incluindo a due diligence de conhecer seu cliente (KYC), demorou seis semanas, em média. Esse tempo gasto na integração cria um fardo significativo; os vendedores têm menos tempo para trabalhar em seus principais focos, como a aquisição de novos negócios e a manutenção de clientes existentes.

Outras descobertas importantes incluem:

  • 57% dos entrevistados concordam que a confiabilidade dos dados de referência é um desafio.
  • 55% dos entrevistados concordam que a mobilização de recursos para a integração é um desafio.
  • 55% dos entrevistados concordam que processos demorados significam risco de perda de negócios.
  • 61% dos entrevistados concordam que a tecnologia digital complicará ainda mais o processo.

Os resultados da pesquisa mostram que o processo de integração de novos relacionamentos comerciais em serviços financeiros consome muito tempo e requer muita administração. Em uma economia digital globalizada, a verificação da identidade de clientes, parceiros e fornecedores está se tornando um desafio cada vez mais complexo e dispendioso. No entanto, o crescimento de identificadores está levando a problemas que precisam ser resolvidos para assegurar seu lugar vital na lubrificação das engrenagens da crescente economia digital global.

O fardo continua mesmo quando o cliente é estabelecido. Os dados do cliente devem ser mantidos atualizados durante todo o relacionamento comercial. Isso inclui a verificação regular de informações de cartão de visita e alterações na estrutura de propriedade.

A pesquisa identificou que o ponto crucial do problema é a falta de uma abordagem padronizada para a verificação de entidade legal. Como resultado, 54% dos entrevistados concordam que o uso de diferentes identificadores jurídicos para a mesma entidade jurídica leva a inconsistências com atualizações de conjuntos de dados de referência diferentes. A pesquisa constatou que 58% dos entrevistados disseram que os dados de referência associados não estão atualizados, enquanto 46% disseram que os dados de referência de diferentes fontes são inconsistentes e 49% disseram que a mesma ID é usada para diferentes entidades jurídicas.

Integração de organizações de clientes em serviços financeiros: A GLEIF propõe um caminho padronizado

Os identificadores de entidades jurídicas são facilmente obtidos de uma série de diferentes emissores, mas não são mantidos atualizados de maneira sistemática. As organizações precisam de um sistema mais eficiente para identificação de entidade jurídica. Alguns acreditam que a tecnologia ajudará, mas não há consenso geral sobre qual deve ser a solução.

A GLEIF defende que as empresas de serviços financeiros podem economizar tempo, ganhar maior transparência e trabalhar de forma mais simplificada adotando um LEI para cada organização cliente. Os bancos operam em múltiplas jurisdições e, portanto, precisam de um padrão global. O LEI oferece às empresas uma abordagem única para identificar entidades jurídicas, que tem o potencial de eliminar a complexidade das transações comerciais. Por meio do Global LEI Index, disponibilizamos a maior fonte on-line que fornece dados de referência da entidade jurídica normalizados, de alta qualidade e abertos. Nenhum outro sistema de identificação de entidade mundial e aberto assumiu o compromisso de um regime estritamente comparável de verificação regular dos dados.

A integração do LEI a outros métodos de verificação de entidades, incluindo soluções baseadas em certificados digitais e tecnologia blockchain, permitirá que qualquer pessoa conecte facilmente todos os registros associados a uma organização e identifique quem controla quem. Ao se tornar o elo comum, o LEI fornecerá certeza de identidade em qualquer interação on-line, facilitando a participação de todos no mercado digital global.

Para obter mais informações sobre como criar valor comercial com o LEI, leia o Livro Branco da McKinsey & Company e GLEIF “O Identificador de Entidade Jurídica: O Valor da Identificação Única de Contraparte” (The Legal Entity Identifier: The Value of the Unique Counterparty ID).


Arquivos Relevantes para Download